Amantes Da Ferrovia

Apaixonados por trem

Museu Vale do Rio Doce

Antiga estação Pedro Nolasco da EFVM, bairro de Argolas
Vila Velha - ES
Fone: (27) 3246-1443

Museu Ferroviário de João Neiva

Av. Pres. Vargas, 149
João Neiva - ES - CEP 29680-000
Fone: (27) 258-1395
Fax: (27) 258-2629

Tags: espírito santo, museu

Exibições: 2842

Respostas a este tópico

O Museu Vale do Rio Doce é hoje um espaço de arte considerado um dos melhores do Brasil pela sua capacidade de receber grandes exposições e instalações,a curadoria de Ronaldo Barbosa trouxe grandes eventos com mostras de arte nacional e internacional.Tem uma das vistas mais linda de Vitoria(principalmente à noite),pois fica proximo da baia de Vitoria,que é uma ilha e este fica no municipio vizinho Vila Velha (continente),o que permite uma visão da cidade por um angulo de fora da cidade.
Sua localização na Estação Pedro Nolasco que foi a antiga estação da minha infancia,é linda,preservada,tem um vagão antigo da época da Maria Fumaça que é um Vagão Restaurante,a Estação tem fotos antigas e maquetes,tem um grande galpão onde hoje ficam as exposições e/ou instalações como falei acima.É lindo de mais se vierem a Vitoria não deixem de visitar.
lucia de fatima ramaldes correa disse:
O Museu Vale do Rio Doce é hoje um espaço de arte considerado um dos melhores do Brasil pela sua capacidade de receber grandes exposições e instalações,a curadoria de Ronaldo Barbosa trouxe grandes eventos com mostras de arte nacional e internacional.Tem uma das vistas mais linda de Vitoria(principalmente à noite),pois fica proximo da baia de Vitoria,que é uma ilha e este fica no municipio vizinho Vila Velha (continente),o que permite uma visão da cidade por um angulo de fora da cidade.
Sua localização na Estação Pedro Nolasco que foi a antiga estação da minha infancia,é linda,preservada,tem um vagão antigo da época da Maria Fumaça que é um Vagão Restaurante,a Estação tem fotos antigas e maquetes,tem um grande galpão onde hoje ficam as exposições e/ou instalações como falei acima.É lindo de mais se vierem a Vitoria não deixem de visitar.
Olá Lúcia, estas imagens são do museu aí?


lucia de fatima ramaldes correa disse:
O Museu Vale do Rio Doce é hoje um espaço de arte considerado um dos melhores do Brasil pela sua capacidade de receber grandes exposições e instalações,a curadoria de Ronaldo Barbosa trouxe grandes eventos com mostras de arte nacional e internacional.Tem uma das vistas mais linda de Vitoria(principalmente à noite),pois fica proximo da baia de Vitoria,que é uma ilha e este fica no municipio vizinho Vila Velha (continente),o que permite uma visão da cidade por um angulo de fora da cidade.
Sua localização na Estação Pedro Nolasco que foi a antiga estação da minha infancia,é linda,preservada,tem um vagão antigo da época da Maria Fumaça que é um Vagão Restaurante,a Estação tem fotos antigas e maquetes,tem um grande galpão onde hoje ficam as exposições e/ou instalações como falei acima.É lindo de mais se vierem a Vitoria não deixem de visitar.
Imagens - Museu Ferroviário Vale do Rio Doce - Vila Velha (ES)

Bom pessoal, boa noite a todos!

Meu nome é Hélio dos Santos Pessoa Júnior e gostaria, sincera e humildemente, de fazer algumas considerações e algumas críticas construtivas, com o devido respeito, a Ronaldo Barbosa, sem no entanto, jamais desmerecer o trabalho dele. A questão é: O Museu Ferroviário de Vila Velha, situado no bairro de Argolas, na Grande Vitória, é agora um espaço de artes, de curadoria, quando deviria, seriamente, tratar de preservar a memória histórica da grande ferrovia que é a Estrada de Ferro Vitória a Minas? Me pergunto, até constrangido, quantas pessoas, realmente, que visitam o Museu, conhecem seguer o nome Pedro Nolasco Pereira da Cunha e João Teixeira Soares, os dois grandiosos Engenheiros Ferroviários que foram os fundadores e presidentes da E.F.Vitória a Diamantina (posteriormente, E.F.Vitória a Minas, a partir de 1920). Até onde eu conheço de Ronaldo Barbosa, ele nunca grandes contatos com a verdadeira história ferroviária, se é que teve algum, uma vez que estudou na Europa, em pós-graduação em artes. Gostaria, sinceramente, que os possíveis leitores lessem ao menos algumas de minhas postagens. Seguem, em anexo, os nomes de algumas das que considero mais importantes para a história, bem como os links das mesmas. Por favor, não deixem de ver, é de extrema importância, não porque fui eu quem as escreveu, mas pelo bem da preservação da memória histórica de nossas ferrovias, já que realmente amamos as mesmas.
Um cordial abraço!

Hélio
Anexos

Hélio,

 

Vou iniciar a leitura sugerida por você.

Sobre o museu da Vale, eu já fui La algumas vezes, e a uma semana atrás eu fui de novo.

Primeiro que para chegar La mesmo para quem mora na cidade, não é fácil, pelo absurdo de falta de sinalização.

Chegando La, o museu tem uma área nobre e um lindo prédio, mas sofre de uma falta de atrativos enorme, então se você foi La no início e por agora, pouca coisa mudou.

A Vale nos últimos anos, retirou inúmeras locomotiva EMD de operação, mas não se interessou em mandar nenhuma para o museu.

Fala-se muito aqui neste estado que existe potencial para o turismo, e no museu você houve isso também. Mas alguém aqui já viu alguém ser um grande profissional apenas com potencial? Pois é aqui vive-se de potencial com nada ou quase nada de ação concreta.

A grade novidade do museu, e um vagão da composição de passageiros, mas acho que é o vagão de bagagem. Mas ele fica trancado!!!!! Deve ser para os turistas fiquem apenas imaginando o que pode haver dentro dele.

Uma vez levei uns colegas de trabalho, vindo da Franca e Belgica lá, para conhecer. Foi decepcionante, porque eles não conseguiram acreditar que era um museu, de tão pouca coisa.

 

Bem para quem já viu o museu de São João Del Rey em MG, com mais de 10 locomotivas, é melhor nem perder tempo para ir nesse museu daqui. Mas o Museu continua tendo potencial, basta que pessoas realmente queriam fazer o potencial vire realidade e para isso me coloco a disposição para o que eu puder ajudar, pois quero muito ver naquele lindo local, um museu fervilhante com muitos turistas e muitos eventos, como grupos de ferromodelistas e amantes da ferrovia de modo geral.

 

Fiquei curioso em conhecer sobre o museu de João Neiva, alguém daqui poderia me dar mais informações?

 

Já ia me esquecendo, a maquete é linda, mas falta conectar ela e o mundo ferroviário as nova gerações (crianças) com forma de estimulo.

 

Sds, Esdras

 

 

 

Fui ao museu de João Neiva.

Adorei!!!!!, recomendo a todos!!!, primeiro voçê liga nos numeros de telefone acima, e verá que não funcionam, e quando chegar lá, verá um galpão antigo, caido aos pedaços e fechado.

Deve ser por causa do potencial turístico do estado.

 

Esdras

 

 

Parabéns pela criação deste tópico não venho criticar trabalho venho somar pois esta criação esta perfeita parabéns aos seus idealizadores pela divulgação, postarei algumas fotos para ilustrar este belissimo trabalho. O Museu está na rota de exposições que rodam pelo Brasil. Também tem um acervo de fotos, a antiga locomotiva, documentos da construção da estrada de ferro.

A estação leva o nome Pedro Nolasco foi o engenheiro que projetou a EFVM.

Tem um ferrorama enorme que é o sonho de qualquer criança que gosta de trens!

Baía de Vitória e o centro da capital expremido entre a montanha:

Ao fundo a "5 Pontes", outra ligação Vitória - Vila Velha:

Locomotivas Espirito Santo
A “Felipe  Carpenter”, uma Orenstein & Koppel fabricada em 1904, configuração 0-4-0T, prefixo FC2, número de série 1288, bitola métrica. Utilizada pela EF Vitória a Minas. Está exposta no Museu Ferroviário de João Neiva, em João Neiva (ES).
Baldwin 2-8-2, classe Mikado, da EF Vitória a Minas, fabricada em 1946 e utilizada no transporte de minério até a década de 1960. Posteriormente utilizada como caldeira fixa em João Neiva (ES). Prefixo 185, número de série 72666,  bitola métrica. Está em exposição no museu da CVRD em Vila Velha (ES).

Fabricante, número de série e data de fabricação desconhecidos. Foi utilizada para o transporte de cana da Usina Paineiras. É um 0-6-0T com bitola de 0,60 m. Está exposta em praça pública em Itapemirim (ES).

 

Um raro exemplo de locomotiva Lima, fabricada em 1913, bitola métrica, configuração 4-6-0 (classe Pacific), originária da EF Sorocabana, posteriormente adquirida pela EF Elétrica Votorantim e mais tarde doada ao empresário João Santos. Encontra-se na Fábrica de Cimento Nassau, em Vargem Alta (ES).

- Lui já fui a Vitória é a terra da lagosta Já almocei no restaurante do Museu comida muito boa muito legal mesmo muito lindo esse museu! O ferrorama, é bem maior ali pro lado,  As fotos tão muito bonitas! Valeu por ter postado!
Liiiiiiiiiiiiiiiindo

Amo Vitoria cada dia mais!!!

RSS

Publicidade

Membros

Comunidades

Música

Carregando...

© 2014   Criado por Amantes da Ferrovia.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

xg.tg = function () { var cookies = document.cookie.split(';'); var re = /^\s*xn_visitor=([^\s]*)/; var vc = ''; for (i in cookies) { if (!cookies.hasOwnProperty(i)) { continue } var match = re.exec(cookies[i]); if (match) { vc = match[1]; break; } } var image = new Image(); var user = vc + ',,amantesdaferrovia'; image.src = 'http://www22.glam.com/cTagsImgCmd.act?gname=ning_user&gvalue=' + user + '>id=5000059145&gcmd=setc&gexpires=604800&ord=' + Math.random()*1E16; }; xg.tg();