Amantes Da Ferrovia

Apaixonados por trem

"Rápido Vitória a Minas" e "Expresso Vitória a Minas", uma nova luz sobre a história do Trem Rio Doce

O ano de 1954, acredito, muitos aqui saibam, marcou a história da E.F.Vitória a Minas, com a revolução no transporte ferroviário de passageiros, através da aquisição dos carros de aço carbono da Companhia Industrial Santa Matilde, pela Companhia Vale do Rio Doce. Este foi o cinquentenário da Vitória a Minas, desta forma comemorado pela Companhia Vale do Rio Doce. Assim surgiu o trem de passageiros que revolucionou a história da Vitória a Minas, marcando uma época fantástica, encantando gerações, o "Rápido Vitória a Minas."

Conforme o Guia Levi de 1940, já existiam, por esta época, os chamados "Trens Paradores" ou "Expressos", cujo prefixo era P, porém, formados por carros de madeira e locomotiva a vapor, de 1932 até 1959, aproximadamente. Meu pai, Hélio dos Santos Pessoa, que estudou na cidade de Colatina - ES, em colégio de padres, até o ano de 1958, conta que ia de trem, de Aimorés - MG para Colatina - ES e vice-versa. Em regime de internato, ele ia para a casa dos pais, meus avós, somente em feriados e férias e que não ia no Rápido por causa do horário deste. Ele, então, ia no Misto, o trem formado por carros de passageiros e vagões de carga, cujos prefixos eram, M-1 e M-2. De Aimorés até Colatina, ele ia no M-1 e, de Colatina para Aimorés, no M-2. Ele conta, ainda, que, no alojamento do colégio de padres, por volta das 22h:00m, ele, já acomodado no leito, ouvia passar o Misto, tracionado pela Teen Wheeler (Maria Fumaça), que apitava com seu doce e poético apito longo. Havia os Expressos, ainda com locomotivas a vapor e carros de madeira, pelo menos até 1959, aproximadamente.

 

 

Foi por volta de 1960, que os Expressos passaram a ser formados por carros de aço carbono Santa Matilde e locomotivas a diesel. É a partir dessa época é que os nomes "Rápido" e "Expresso" ganharam maior conotação. A partir de 1960, um deles era Noturno e o outro, Diurno. O Noturno, obviamente, era o que fazia o percurso de Vitória a Belo Horizonte e vice-versa, com serviços de leitos. O Diurno, era o que fazia o percurso de Vitória para Itabira, porém formado apenas por carros de 1ª e 2ª classes e Restaurante.

 

A verdade que durante muitos anos e até recentemente fazia certa confusão entre o "Rápido" e o "Expresso", ambos com carros de aço carbono e locomotivas a diesel, será revelada agora.

 

A verdade é que, de acordo com o Guia Levi de 1965, o Rápido era inalienavelmente aquele que fazia o percurso de Vitória à Belo Horizonte, com troca de locomotiva em Nova Era, na qual, trocava-se o prefixo também. De Vitória a Nova era, tinha o prefixo RD-1 e, de Nova Era a Belo Horizonte, o prefixo NF-32, prefixo da E.F.Central do Brasil. Em 1965, o Rápido partia de Vitória (Pedro Nolasco) às 08h:30m e chegava à Nova Era às 01h:48m, sendo, portanto, o Rápido Diurno.

Mas, o mais interessante é que, em 1965, nenhum dos Expressos eram Noturnos, absolutamente nenhum, no caso, P-1, P-2, P-3 e P-4. Em 1965, o P-1 ia de Pedro Nolasco (Vitória) até Valadares. Já o P-2, fazia o percurso de volta, de Valadares à Vitória. O P-3 partia de Governador Valadares para Itabira e o P-4, fazia o percurso de volta, de Itabira para Governador Valadares.Confiram estes horários no Guia Levi de 1965.

 

Vejam o Guia Levi de 1965, abaixo:

 

Como se pode perceber, em 1965, nenhum dos Expressos já com carros de aço carbono e locomotiva a diesel faziam conexão com Belo Horizonte, mas unicamente o Rápido. Uma coisa se pode ter absoluta certeza, o Rápido, apesar de pequenas controvérsias, já fez o percurso Vitória a Belo Horizonte sim e digo que em mais de uma ocasião. É verdade que o Rápido chegou a fazer a conexão Vitória à Itabira e vice-versa, pelo menos, em 1969 e, se cheguei a dizer o contrário, embora não me lembre, retiro o que porventura tenha dito. O que percebe-se, através dos registros da história é que, o Rápido, ora tracionava de Vitória a Belo Horizonte, ora de Vitória a Itabira, conforme mudanças nos horários e o mesmo se pode dizer do Expresso P-1 e P-2. Pelo menos em 1969, existiam apenas dois Expressos, o P-1 e P-2, conforme Guia Levi dessa época e eram estes que faziam o percurso Vitória à Belo Horizonte e o P-1 era Noturno, de Vitória à Belo Horizonte, a partir de Governador Valarades até Nova Era, quando então, trocava seu prefixo para NF-32.

 

Vejam o Guia Levi de 1969, abaixo:

 

Percebe-se que o Noturno que fazia o percurso de Vitória à Belo Horizonte já fora, de fato, o Expresso P-1 e P-2, respectivamente.

 

Mas, vale lembrar ao leitores que, após a duplicação da Linha Tronco da E.F.Vitória a Minas, as coisas realmente mudaram, ou seja, o Rápido, a partir de 1979 até 1983, voltou a fazer conexão entre Vitória a Belo Horizonte, sendo agora, porém, Noturno, pelo menos a partir de Aimorés - MG. E esta é particularmente a minha época, a que mais viajei entre Belo Horizonte e Vitória ou entre Belo Horizonte e Aimorés e Resplendor.

 

Lamentavelmente, ainda não possuo em mãos um Guia Levi de 1979, mas para comprovar de forma inalienada o que estou dizendo, tenho o horário deste Rápido de Belo Horizonte à Vitória, de 1979. Consegui este horário com um amigo, o Rúbens Ramalho, cujo pai, o Sr. José Carlos Souza Santos, trabalhou como chefe-de-trem no Trem Rio Doce. Tendo entrado em serviço na Companhia Vale do Rio Doce em 1967 como auxiliar, até 1978, conheceu profundamente a realidade do Trem Rio Doce, seus horários e mudanças no mesmo. De 1978 a 1985, o Sr. José Carlos fora chefe-de-trem e guardou, por muitos anos depois, o horário anotado numa caderneta, do Rápido Vitória a Minas, de Vitória à Belo Horizonte em 1979, o qual passou ao filho Rúbens Ramalho e este o passou a mim.

O Sr, José Carlos, pai do Rúbens, tem um amigo que, durante muitos anos, fora guarda-chaves de desvios, antes de haver terminado a duplicação da Linha Tronco da EFVM. Acontece que, mesmo com a implantação do CTC = Controle de Tráfego Centralizado, em Vitória - ES, havia, ainda, alguns trechos, principalmente os mais antigos, nos quais os desvios eram ainda manuais e este era o serviço do guarda-chaves. Este guarda-chaves amigo do Sr. José Carlos, lembra com detalhes, de quando o Noturno NF-31, vindo de Belo Horizonte, tracionado por uma G-12 da RFFSA de nº 6205 chegava em Nova Era - MG por volta das 02h:30m numa determinada época, ele tinha que virar a chave de desvio, para que o Noturno entrasse na linha da E.F.Vitória a Minas. Curiosamente e paralelamente a esta parte da história, o pai do Sr. Paulo Roberto de Oliveira Cerezzo, o Sr. Paulo Baiano, era quem costumava tracionar esta G12.

 

Bem, vamos ao horário propriamente dito.

 

Rápido Vitória a Minas RD-1 - Vitória - ES à Belo Horizonte - MG - 1979.

Partida de Vitória (Pedro Nolasco).

 

  • Pedro Nolasco - partida: 15h:30m;
  • Fundão - chegada: 16h:28m / partida: 16h:30m;
  • Aricanga - cheg. 16h:46m / part. 16h:48m;
  • Piraqueassu - cheg. 16h:59m / part. 17h:01m;
  • Colatina - cheg. 17h:59m / part. 18h:05m;
  • Itapina - cheg. 18h:26m / part. 18h:28m;
  • Mascarenhas - cheg. 18h:41m / part. 18h:42m;
  • Baixo Guandu - 18h:55m / part. 18h59m;
  • Aimorés - cheg. 19h:06m / part. 19h:09m;
  • Itueta - cheg. 19h:31m / part. 19h:33m;
  • Resplendor - cheg. 19h:49m / part. 19h:53m;
  • Conselheiro Pena - cheg. 20h:27m / part. 27h:31m;
  • Barra do Cuieté - cheg. 20h:46m / part. 20h:48m;
  • São Tomé do Rio Doce - cheg. 20h:57m / part. 20h:59m;
  • Tumiritinga - cheg. 21h:13m / part. 21h:15m;
  • *Governador Valadares (* entrada dos Leitos em serviço) - cheg. 22h:00m / part. 22h:15m;
  • Pedra Corrida - cheg. 22h:58m / part. 23h:00m;
  • Naque - cheg. 23h:32m / part. 23h:34m;
  • Frederico Selow - cheg. 23h46m / part. 23h:48m;
  • Intendente Câmara (Ipatinga) - cheg. 00h:31m / 00h:35m;
  • Mário Carvalho - cheg. 00h:50m / part. 00h:53m;
  • Antônio Dias - cheg. 01h:28m / part. 01h:30m;
  • Desembargador Drummond - cheg. 02h:02m / part. 02h:04m;
  • Nova Era (troca de Locomotivas e entrada na linha da EFCB) - cheg. 02h:12m.

Por esta época, o Trem Rio Doce chegava à Belo Horizonte às 07h:00m. Houve épocas em que ele chegava às 05h:55m, tudo dependendo das constantes mudanças que ocorriam nos horários.

Vamos, agora, ao horário do Rápido RD-2, de Nova Era à Vitória, vindo de Belo Horizonte.

 

Rápido Vitória a Minas RD-2 - Nova Era - MG à Vitória - ES - 1979.

Partida de Nova Era.

 

  • Nova Era - partida: 04h:55m;
  • Desembargador Drummond - cheg. 05h:06m / part. 05h:08m;
  • Antônio Dias - cheg. 05h:36m / part. 05h:38m;
  • Mário Carvalho - cheg. 06h:11m / 06h:14m;
  • Intendente Câmara (Ipatinga) - cheg. 06h:29m / part. 06h:33m;
  • Frederico Selow - cheg. 07h:15m / part. 07h:17m;
  • Naque - cheg. 07h:29m / part. 07h:31m;
  • Pedra Corrida - cheg. 08h:01m / part. 08h:03m;
  • *Governador Valadares (*desengate dos Leitos) - cheg. 08h:45m / part. 08h:57m;
  • Tumiritinga - cheg. 09h:42m / part. 09h:44m;
  • São Tomé do Rio Doce - cheg.09h:58m / part. 10h:00m;
  • Barra do Cuieté - cheg. 10h:09m / part. 10h:11m;
  • Conselheiro Pena - cheg. 10h:25m / part. 10h:29m;
  • Resplendor - cheg. 11h:03m / part. 11h:07m;
  • Itueta - cheg. 11h:23m / part. 11h:25m;
  • Aimorés - cheg. 11h:46m / part. 11h:50m;
  • Baixo Guandu - cheg. 11h:57m / part. 12h:01m;
  • Mascarenhas - cheg. 12h:14m / part. 12h:15m;
  • Itapina - cheg. 12h:28m / part. 12h:30m;
  • Colatina - cheg. 12h:52h / 12h:57m;
  • Piraqueassu - cheg. 13h:53m / part. 13h:55m;
  • Aricanga - cheg. 14h:05m / part. 14h:07m;
  • Fundão - cheg. 14h:23m / part. 14h:25m;
  • Pedro Nolasco - cheg. 15h:22m.

 

Este era o horário do Rápido Vitória a Minas da minha época, aquele que fazia o percurso Vitória à Belo Horizonte, sendo Rápido Noturno RD-1 a partir de Aimorés - MG, onde passava às 19h:09m com destino à Belo Horizonte. O RD-2 pegava um pequeno pedaço da noite, às 04h:55m, quando chegava em Nova Era, vindo de Belo Horizonte - MG.

Eu confirmo este horário, definitivamente, pois quando passava as férias na cas de minha madrinha Iolanda Pessoa, em Aimorés - MG, sempre ia à estação ferroviária para ver o "Expresso" e o "Rápido" passarem! Eu lembro que chegava à estação às 10h:50m, esperava dar as 11h:00m e aí então, o chefe da estação anunciava: "Atenção senhores passageiros, partiu de Baixo Guandu com destino à Itabira, o Expresso P-1, previnam-se para o embarque. O Expresso chegava, vindo de Baixo Guandu exatamente às 11h:03. Partia às 11h:07 aproximadamente e, daí a pouco, o chefe da estação anunciava o Rápido que vinha de Belo Horizonte: "Senhores passageiros, partiu de Itueta com destino a Pedro Nolasco o Rápido RD-2, previnam-se para o embarque. O Rápido, então, chegava em Aimorés por volta de 11h40m e partia por volta de 11h:50m mesmo.

Durante longos anos, após a extinção do Rápido Vitória a Minas em 1983, sonhei com este horário. Para mim, este horário é uma das coisas mais preciosas em termos de minhas vivências e memórias do saudoso e tão querido Trem Rio Doce Rápido Vitória a Minas, o trem que passou pela minha vida.

Missão cumprida!

 

Hélio dos Santos Pessoa Júnior

Em 4 de março de 2011 às 0:30

 

 

 

Exibições: 667

Comentar

Você precisa ser um membro de Amantes Da Ferrovia para adicionar comentários!

Entrar em Amantes Da Ferrovia

Publicidade

Membros

Música

Carregando...

© 2017   Criado por Amantes da Ferrovia.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço